Unidade Habitacional da Bouça – Cooperativa de Aguas Férreas

Porto, Portugal

Função:

O conjunto de blocos destinados á Unidade Habitacional da Bouça – Cooperativa de Aguas Férreas são constituídos por quatro blocos em banda. Estes blocos agora projetados irão completar, isto é, finalizar o conjunto habitacional projetado em 1975, e do qual só foram executadas parte de dois dos blocos.

O projeto de estruturas de 75 concebia os edifícios, usando construção tradicional, paredes de blocos resistentes e placas de vigotas pré fabricadas de betão armado, atendendo á necessidade de construir muito económico (4000 esc. /m2 na época). Na altura os blocos resistentes (tipo MECAN) e as Lages pré fabricadas (tipo DAVIGA) de qualidade eram muito competitivos com o betão armado, até porque as tecnologias para execução de betão armado eram insipientes e pouco económicas.

Os edifícios agora projetados mantêm uma solução idêntica constituída por lajes pré-fabricadas com vigotas pré-esforçadas apoiadas em paredes resistentes mistas de blocos de termo argila e pilares de betão armado solidarizados. A existência da cave para estacionamento, sobre a cobertura da qual se vão apoiar alguns dos blocos de habitação agora projetada, justifica a opção de betão armado até ao nível do 1º piso nessa zona, visto ser uma estrutura menos sensível às pequenas deformações da base de apoio.

As caves enterradas são projetadas sem juntas de dilatação e os edifícios acima do piso 0, isto é, cobertura das caves ou terreno natural no caso em que não existem caves, com juntas de dilatação de acordo com os espaçamentos do projeto original.

Quanto a fundações adotamos uma solução de fundação em sapata corrida no caso dos blocos sem cave, e de sapatas pontuais interligadas por uma laje de betão armado no caso das caves.

Para mim, a conclusão do complexo residencial no bairro de Bouça foi quase uma surpresa. Eu nunca tinha perdido a esperança de que seria terminado. Especialmente devido à pressão contínua por parte dos habitantes das unidades a partir da primeira fase, que nunca tinha sido concluída. Depois de um intervalo de 30 anos, o compromisso da Cooperativa acabou por ser decisivo para fazer com que a Câmara Municipal do porto e o Instituto Nacional de habitação decidissem terminar o projecto. A Bouça era um projeto relativamente económico, e em 1974 não poderia ter sido de outra forma. Anos mais tarde, a discussão revelou o desejo (e a possibilidade embora limitada) de proceder à melhoria na qualidade e no conforto. Foi necessário responder às necessidades expressas, embora algumas estivessem apenas assentes em preconceitos que levassem à melhoria objetiva da qualidade de vida. Então, uma vez mais o projeto envolveu participação.

em Porto 12.09.2006, Casabella 765, p.29

Localização

revista online

FG+SG
architectural photography

Arquitetura:
Localização: Porto, Portugal
Função:
Cliente: SAAL
Ano: 2000
Área: 41 118 m2